Casa Branca: Da Estação Ferroviária à Aldeia das Artes

Exposição “Casa Branca: Da Estação Ferroviária à Aldeia das Artes”  do Departamento de Arquitetura da Universidade de Évora

23 a 26 Junho 2022

Zona Freixo, Casa Branca

28fc18ff-d328-4e14-ba63-f4733d142d97Casa Branca é uma pequena aldeia no interior do Alentejo, cuja origem está associada à construção da estação ferroviária, localizada na bifurcação entre a linha férrea do sul e a de sudeste.

O nome Casa Branca sugere uma ideia de síntese sobre as casas brancas do sul, uma imagem de pureza e de luz, que se destaca da matéria da terra que molda o território do sul. Casa Branca convoca igualmente um imaginário de abstração e liberdade que bem reconhecemos na história da arquitectura, a partir da proximidade e diálogos entre as arquitecturas de raiz vernacular e erudita. Inevitavelmente abre-nos também a um território de grande experimentação.

Na verdade, Casa Branca não é uma casa, mas um antes um conjunto de casas que, durante décadas, deram forma a esta pequena aldeia de operários da ferrovia.

A singularidade deste lugar e o carácter de isolamento e abandono em que se encontra, torna pertinente a reflexão sobre a contemporaneidade deste património.

O trabalho de investigação e projecto apresentados, surgem do diálogo entre o colectivo artístico das Oficinas do Convento, com a participação do Espaço do Tempo, com o Departamento de Arquitectura da Universidade de Évora. A concessão de exploração para os próximos trinta anos pela Estação da Cooperativa, às Infra-estruturas de Portugal, abre a possibilidade de reinventar o lugar de Casa Branca a partir da ideia de aldeia das Artes.