PROJETO M

O projecto M, centrado na cidade de Montemor-o-Novo, e daí irradiando de forma inovadora e consistente a toda uma região com a qual se identifica, para o país, e com repercussões além-fronteiras, congrega para além da respectiva autarquia, quatro estruturas de criação, promoção e difusão artística, a saber: O Espaço do Tempo – Associação Cultural (ET), a Associação Cultural de Arte e Comunicação Oficinas do Convento (OC), o Projecto Ruínas Associação (PR) e a Alma d’Arame – Associação Cultural (AA).

Historicamente, Montemor-o-Novo sempre seguiu uma política cultural de referência nacional, possibilitando que estruturas de criação artística se fixassem neste concelho promovendo mais-valias inegáveis junto da população, factor de cidadania e qualificação indiscutíveis. O Município tem estimulado a capacidade das estruturas de criação em acolher outros criadores, que permita estabelecer na Cidade um pólo de criação e produção artística a nível nacional.

Montemor-o-Novo é referência e objeto de estudo pelo seu carácter laboratorial e deverá continuar a distinguir-se por esta singularidade, na promoção de novos padrões de desenvolvimento, afirmando-se pela especificidade local através de modelos piloto. Estes objetivos são ainda mais relevantes se tomarmos em conta que Montemor-o-Novo é um concelho rural, possibilitando este projecto uma efectiva descentralização, contribuindo para a correcção de assimetrias regionais. De realçar ainda as boas práticas presentes no código genético das estruturas envolvidas, com uma forte intervenção no Desenvolvimento Local e Regional. 

Esta política continuada permitiu consolidar as actividades criativas de muitos artistas, não só emergentes como artistas de referência, que em Montemor-o-Novo sempre encontraram um local de experimentação, produção e concretização dos seus projectos. Neste sentido, não só as estruturas envolvidas como também a própria autarquia consideram prioritária a Residência Artística e as estratégias de produção partilhadas. Ao promover a articulação entre as diferentes estruturas, a própria autarquia tem promovido um posicionamento artístico transdisciplinar, em completa sintonia com o espírito do tempo, num ambiente criativo que se constitui como um recurso estruturante, não só para os próprios artistas, como também para a comunidade. Este posicionamento abrangente está na base de um pensamento crítico e de um discurso reflexivo onde as artes se cruzam com os outros sectores do conhecimento, tais como a ciência e a tecnologia, o ambiente e a educação, nunca se dissociando do território onde se inserem. Todo este ambiente criativo permite hoje novos fluxos de visitantes onde o Turismo Cultural é factor de valorização do território.

Este programa espelha a diversidade de linhas de programação que estas entidades têm assumido nos últimos anos, ao mesmo tempo que propõe um reforço na afirmação dessas linhas de ação através da programação de atividades que promovem contactos entre artistas nacionais e internacionais.

Num tempo em que a condição de sobrevivência das cidades de pequena e média dimensão passa por uma forte afirmação da identidade, a cidade de Montemor-o-Novo é reconhecida pela Cultura como factor de diferenciação e singularidade. Nesta proposta artística, quatro entidades estruturantes e dinâmicas do concelho, no âmbito da criação e programação, reúnem-se para catalisar ações numa estratégia concertada de Desenvolvimento. Articulam em rede, com partilha de recursos e equipamentos, um programa que vem dar continuidade às suas linhas específicas identitárias.

  • Projetos

2013 a 2014

OFICINAS DO CONVENTO